Rádio Nostalgia

Afinal a Rádio Nostalgia não desapareceu das ondas hertzianas. É a RFM, a “rádio nostalgia” da década de 90.

Ocasionalmente entro no carro de alguém que tem a dita sintonizada. As compilações Romantic Rock do Fido Dido são fonte recorrente para a playlist, mais estável do que a Torre de Pisa. Aliás, ainda a Torre de Pisa há-de cair e na RFM vai continuar a passar o “I Want To Know What Love Is” dos Foreigner, ou os Frankie Goes To Hollywood com “The Power Of Love”.

A diferença fundamental face à verdadeira Nostalgia estará em que, na primeira, o propósito de nos apegarmos à música produzida num determinado período temporal e ouvirmos as mesmas coisas over and over again era claro, quase com direito a disclaimer prévio. Na RFM as coisas passam-se de outro modo: o único critério subjacente à criação da playlist é reunir “a melhor música do mundo”, para tocar na “sua rádio, a melhor do mundo”. E ao que parece, a melhor música do mundo ficou quase toda compilada nas colecções apresentadas pelo Fido Dido.

Sim, também há temas mais recentes a passar, já deste milénio e até deste ano – desde que tenham cumprido o requisito fundamental de qualquer “melhor música do mundo” que se preze: aguentarem-se nos Top 10 nacional e internacionais ao longo de seis ou sete semanas, minimum.

Mas tudo isto tem uma explicação fácil, e nem necessariamente pedante: regra geral, as pessoas gostam de ouvir aquilo que lhes é familiar, o que combina muito bem com este tipo de geração de alinhamentos musicais. E a RFM continua a ter a maior audiência nacional, ao que parece.

Eu, até preferia ter a outra Nostalgia de volta. Lembro-me das queixas incessantes aos nove anos quando me faziam ouvir aquelas velharias na viagem de carro a caminho da escola. Hoje tenho a versão original do American Pie no iPod.

A Rádio Nostalgia tinha na gastronomia infantil como equivalente a ingrata tarefa de passar por legume: faz bem e até vamos acabar por gostar em grandes, mas há que fazer birra quando em tempo próprio. A RFM é rica em calorias e hidratos de carbono. E sabem o que canta o MIKA… “Sucking too hard on your lollipop…”.

Advertisements

Are you anti-monologue?

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s