This blog is not called Melomanias for nothing

And in order to prove it, I propose a challenge, to you, my reader.

a) Follow this link.
b) Listen to the song(s).
c) Come back to comment – and don’t forget the “whys” and “becauses”.

I will not promise candies or any extra rewards for your efforts. Music ought to be enough*. And to exercise your mind is never small a reward.

* That music in particular ought to be more than enough, except in one condition: that you might want MORE.

Advertisements

7 thoughts on “This blog is not called Melomanias for nothing

  1. Gostei bastante de ouvir estas músicas.Na “Lady Luck” gosto da interpretação vocal pungente “a la” Matthew Bellamy bastante bem conseguida. “The Dogs” e “Relative” são dois temas bastante consistentes que me parecem mais “pop” (especialmente “Relative”) e demonstram capacidade de assumir registos diferentes. As letras são intimistas e um dos grandes pontos fortes, na minha opinião. Mudanças de tom de voz com um bom timing, que revelam um controlo vocal bastante desenvolvido.De um modo geral acho que ainda está um pouco “rough around the edges” mas com bom potencial.Thumbs up!

  2. Gosto da voz e do timbre, acho que o senhor F.F. parece conseguir personalizar e personificar as suas músicas… no entanto este tipo d música é um pouco “triste” demais para o meu ouvido, que está muito habituado à “alegria comercial” do dia-a-dia… felizmente ou infelizmente, ele conseguiu afastar-se desse registo e fazer uma coisa muito própria.Satírico, pessoal, irreverente… Também fiquei curiosa para ouvir mais.

  3. A voz dele é boa e este parece-me um bom esboço, onde já se percebe uma identidade musical. No entanto, precisa de uma maior produção e estruturação de modo a conferir mais alguma consistência. Embora se trate de um registo low-fi, talvez se ganhasse alguma coisa ao inserir uma secção rítmica… A “Relative” parece-me bastante bem, as outras duas precisam um pouco mais de trabalho, penso eu…Boa sorte e bom trabalho!

  4. Olha o Filipe e o Alexandre! :)Curioso, passei a noite a discutir a importância do piano na música pop. Gostei bastante da “Lady Luck”, Dresden Dolls, por aí. Tem aquele ar algo circense, parece-me muito bem.Canção mais corriqueira, é assim, como diz o Alexandre, a The Dogs. Não me diz muito mesmo com a ajuda do sintetizador.Boa voz, meio caminho para o sucesso!

  5. O rapaz canta bem. Pode melhorar, mas para começar não está mal.No primeiro tema, que encontro superior ao outro, nota-se uma influência thom-yorkiana nalgumas modulações da voz (que não no tom, que é bastante diferente). O sintetizador é um pouco pobre timbricamente, mas a melodia é sinuosa e tem picardia. A variação do refrão é sobretudo vocal e creio que resulta plenamente. Só não gosto das três notas do final, porque são inexplicavelmente alegres. Enfim, um detalhe (para que conste que disse mal).O segundo tema funciona bem, eventualmente a voz e os arranjos até estão melhor que no primeiro, mas acho-a uma canção mais corriqueira. Enfim, «I Love You» é assim um refrão um pouco gasto, digamos. Corroboro a crítica do Filipe neste ponto.

  6. Lady Luck tem qualquer coisa de Beatles. Gosto do piano.The Dogs é Smiths “quase directa”.A voz está bem gravada e as letras estão boas. Gostava de ouvir mais coisas.The Dogs está a fazer-me sono. Aquela parte do «I Love You» não está muito conseguida…

Are you anti-monologue?

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s