Planear leva tempo

Numa manhã desta semana desloquei-me ao centro de saúde da minha área de residência para marcar uma consulta. Porque “truth is stranger than fiction”, opto por reproduzir o diálogo que se seguiu quando me atenderam:

– Bom dia, desejava marcar uma consulta para o meu médico de família… vai ser a primeira.
– Você está aqui – no ficheiro do computador – como “sem médico”.
– Mas já me tinham telefonado a dizer que já me tinha sido atribuído um médico…
– Ah, sim. Mas ele entretanto foi embora.
– Bem, nesse caso, posso marcar uma consulta de planeamento familiar?
– Ahh, está tudo até Setembro. Agora só a partir de Agosto é que pode vir marcar, para depois de Setembro.
– Ahh, ok. Obrigada.

Escusado será dizer que deixei o centro de saúde a amaldiçoar mentalmente o país, e o governo, e a prometer emigrar para um país mais desenvolvido. A Somália, talvez. E claro, adepta imediata e incondicional do sistema privado. Capitalismo, ámen.

Ironia das ironias.. é que nos meses em que espero por uma consulta de planeamento familiar tinha tempo de engravidar e abortar umas duas ou três vezes – no sistema público de saúde. É bem feito para o povo do desenrasca e do remedianço, e para quem prevenir é coisa de menina.

Advertisements

Are you anti-monologue?

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s